Luiz.

luiz henrique dias. minimalista.  

A pandemia nos trouxe outro contemporâneo, outras formas de vivenciarmos o tempo, o espaço e as relações. outra relação com a morte e com a vida. 

Nasci em Foz do Iguaçu, Paraná. Passei por Curitiba e Porto Alegre até chegar a São Paulo, onde há não somente pedra mas poesia e pouco tempo para se contemplar a vida em movimento. 

Sou ator, diretor de teatro e ghostwriter. e gosto de fazer rádio. Também escrevo contos, sou professor e, nos últimos anos, aventureiro da psicanálise e das formas de linguagem e significantes frente à arte e aos indivíduos. 

Nos estudos, química, física, gestão pública, arquitetura e uma tentativa de estudar economia. Sou também especialista em ensino da matemática e tenho um MBA – que adorei fazer! –  em gerenciamento de aeroportos, além de formações em dramaturgia (SESI) e psicanálise clínica (IBPC).  

E dois livros de contos: “o amor remove caninos” (2013) e “anedotas da vida real” (2019).

Fui (e sou) professor de diversos institutos e colégios, além de passar por cursinhos pré-vestibular nas cidades por onde estive ou vivi.

Também atuei no terceiro setor, como gerente projetos e instrutor no Instituto PoloIguassu, Senac e SESI.  

Em 2010, iniciei a jornada pelo minimalismo. Hoje escrevo no projeto minimus life. 

Com atuação política constante, fui conselheiro municipal e estadual de cultura. 

Trabalhei em prefeituras, câmaras municipais, na Assembleia Legislativa de São Paulo e na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Em 2020, disputei as eleições: candidato a prefeito de Foz do Iguaçu. 

Agora, sou editor do foz digital, apresentador da Band FM, e me dedico à psicanálise, à escrita e, como sempre, à coletividade cidadã.