o valor do café

ainda em meu passeio pelo minimalismo aplicado ao meu mundo, gostaria de explicar o porquê de eu sempre gostar de convidar as pessoas queridas para tomar um café.

antes, porém, cabe um esclarecimento: café, no caso, não se trata da bebida, mas de um momento, de um instante dedicado a uma boa conversa.

pode inclusive não haver café.

isto posto, vale dizer o quanto o “vamos tomar um café?”, pra mim, é a concreta tradução de “olha, essas formas de se conversar rapidamente ou mesmo por mensagens são ruins e vazias e alguém, como nós, merecemos uma diálogo focado em nossas palavras, então vamos deixar o mundo de lado por uns minutos?”, algo assim.

em um mundo competitivo, em que tempo é dinheiro, podemos investir em laços e doar nosso tempo.

tempo é laços, defendo.

então, quando quiser me dar um presente ou bater um papo, ou mesmo me mandar uma congratulação, evite mensagens, evite objetos.

me chame para um café.

bom carnaval.

4FCC982B-6F8A-4180-9708-FC1F4A2FF3D8.jpeg

 
7
Kudos
 
7
Kudos

Now read this

minimalismo é um ato solitário

depois de começar a escrever sobre minimalismo, encontrei algumas perguntas, feitas por amigos ou pessoas conhecidas, como “mas minimalismo não tem relação com ‘isso’ ou com ‘aquilo’?” ou “mas isso é minimalismo?” etc. não há resposta... Continue →