minimalismo digital

sim, vale a pena tentar.

o minimalismo não se limita a objetos. eu tenho tentado aplicar em minha vida digital também.

desde a forma dos conteúdos produzidos por mim (como esse blog) até a vida postada em fotos e textos nas redes sociais.

aqui algumas mudanças que implantei:

1- estou abandonando o uso de letras maiúsculas. parece estranho, mas muitos computadores - o meu por exemplo - extinguiram a tecla “caps” e pra escrever em “caixa alta” precisamos ficar com o dedo plantando no shift, uma trabalheira danada. aos poucos, comecei a perceber ser possível também tirar as letras maiúsculas do início das frases e dos nomes próprios, por simples desapego. obviamente, faço isso em textos pra consumo meu, para os outros, escrevo normalmente, como manda a cultura.

2- organizei os apps do celular de uma forma mais intuitiva e menos invasiva. separei por exemplo “trabalho”, “finanças”, “notícias”, etc e percebi ter diminuido o tempo de vagar na tela do celular procurando o que abrir. agora, só visualizo um aplicativo se eu realmente quero vê-lo.

3- apaguei minha conta pessoal do facebook. ganhei de uma a três horas a mais de vida por dia. recomendo.

obs.: e para quem diz “não posso porque trabalho com facebook” eu respondo: eu também. a diferença é não ter mais um perfil pessoal. só isso. ainda uso a rede pra trabalhar.

4- nas outras redes, escolhi quais iria usar. minha definição, e isso é pessoal, foi instagram e twitter, a primeira pessoal e a segunda para ler notícias. melhorei de vida.

os quatro relatos acima não são dicas, mas experiências. você pode ajustar sua vida digital da forma que quiser e até permanecer como está. independente de sua escolha, é importante ter consciência sobre o mundo atual e sobre o quanto as redes sociais podem nos ajudar e - também - nos escravizar.

boa semana.

B5EB3E19-BC5D-472B-93F5-FB81C082AC71.jpeg

 
6
Kudos
 
6
Kudos

Now read this

como foi sua black friday?

esses dias foram de observação. a black friday é uma oportunidade de percebermos o quanto a necessidade consumista - para algumas pessoas - pode passar de limites aceitáveis e apresentar uma faceta desoladora, nos tirando as perspectivas... Continue →